Por que Obras Completas 1996-2007?


com a ajuda inestimável da Tatiana Costa, que protegeu de mim durante cinco anos as últimas poesias escritas por mim que eu preservei (destruí todas as outras em 2007, pra não cair em tentação e publicar, porque elas eram muito ruins), estou colocando elas no meu blog.

elas estão com a marcação Obras Completas 1996-2007 porque elas são, como eu disse, o que sobrou desse período da minha escrita.

Como vocês devem saber, eu praticamente não escrevo mais poesia (acho melhor me expressar com outras formas literárias ou não, principalmente os meus "ensaios" que todo mundo menos eu acha que são absurdos, do tipo Marxismo e Ocultismo etc), então isso tudo ficou um tipo de marco de um período de produção "literária" da minha vida (e não marca um período pessoal porque, com exceção de uma ou duas poesias, as que eram muito baseadas na minha vida pessoal eram um lixo).

Peço pelo amor de Deus que me passem o que ainda tiverem que eu escrevi, que não tiver no blog até sexta-feira (Guilherme Celestino Souza Santos, por exemplo "hostilidade" - e seria boa ideia digitalizar as ilustrações do Matéria Bruta). O meu objetivo é reunir tudo o que eu produzi no blog, pra evitar disso se perder (como aconteceu com a minha magnífica coleção de panfletos que a minha mãe jogou fora inadvertidamente).

E não sejam muito duros ao avaliar os poemas. Esses eu acho passáveis (= pelo menos são acima das abobrinhas que nego vende na porta do CCBB por aí...), mas certamente não são muito bons. Eu publico por uma questõa arqueológica e pra documentar a minha evolução estética (de que vou falar em outra ocasião), e porque alguns deles eu relamente gosto ("Sôci", "Antiode", "Canção de Ninar" etc).
 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A teoria marginalista do valor e a economia política neoclássica (Ernest Mandel)

"Problemas de Gênero", da Judith Butler

Apropriação cultural e racismo culturalista