Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2016

O niilismo (Ernst Fischer)

Imagem
Nietzsche, que compreendeu a decadência mais agudamente do que qualquer outro, reconheceu no niilismo um de seus traços essenciais. Anunciou a "preamar do niilismo": "Toda a nossa cultura europeia tem evoluído, desde algum tempo passado, sob o peso de uma tensão torturada, que aumenta de década para década, caminhando em direção de qualquer coisa como uma catástrofe: incansável, violenta, precipitadamente..." E eis como ele descreve o tempo em que fomos "jogados" (esta ideia de sermos "jogados" no nosso tempo viria a se tornar um dos temas do existencialismo):

...uma época de decadência interior e grande desintegração. (...) O niilismo radical traduz a convicção de que a existência é absolutamente insuportável. (...) O niilismo é um estado patológico intermediário (o colossal exagero, a conclusão de que não há sentido algum nas coisas é puramente patológica): quer no caso das forças não se acharem ainda suficientemente poderosas, quer no caso d…

Galvano Della Volpe e o dellavolpismo

Eu tô lendo a coletânea Sociologia, do Della Volpe, e vou falar de umas impressões que eu tive.
Eu vou falar mais sobre estética, mas a estética materialista que ele tentou formular sistematicamente é parte de uma interpretação global do marxismo, que tem paralelos interessantes com o althusserianismo.
E qual é essa interpretação? Ele tenta formular uma leitura rigorosamente materialista do marxismo, projeto que envolve uma crítica à influência do Hegel, que é anterior à feita pelo Althusser. Para o Della Volpe, a “linha evolutiva” não é Hegel-Feuerbach-Marx, como no “materialismo dialético” “oficial” dos partidos comunistas ou, como o Althusser defenderia depois, Demócrito-Spinoza-Marx, e sim Aristóteles-Galileu-Marx. A crítica ao idealismo não passa pela ideia de “inversão” da dialética, conservando o seu método mas sobre bases materialistas, e sim por uma crítica à “tautologia real”, que cria conceitos que são hipóstases de objetos reais, crítica que ele viu pela primeira vez na h…