Tirésias diante de Troia (Obras Completas 1996-2007)


Seus seios atrás do cajado
Um cego não pode acompanhar o strip-tease das coisas (alethea)
Sua barba escondendo pernas e pênis
Diz: "Ó glória de manar, ó vã cobiça,
Os cabelos de Helena crescem em sua sepultura
                                                     seus pentelhos
formam a grama dos Campos Elíseos?
Aquiles jaz; os barcos afundados se tornaram coortes de fantasmas
submersos
Que vivem em bailes enfeitados de algas e algozes
Eu, mulher nos anos mais duros do Gulag
Sinto em meus cabelos o sangue que ela fez jorrar!

Enquanto Troia afunda em chamas,
Me dedico a dizer que a Cidade não é mais que uma ruína em câmera lentíssima.
Enquanto Troia arde escura,
Não possa fazer nada além de saber que isto não é um mosaico; as suas casas sim é que são aos pedaços
(e seus habitantes, mais ainda)".

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A teoria marginalista do valor e a economia política neoclássica (Ernest Mandel)

"Problemas de Gênero", da Judith Butler

Apropriação cultural e racismo culturalista