Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de novembro, 2015

A extrema-esquerda contra a sua base

Escrito por Kátia Cajá e Rodrigo Silva Como trotskistas, temos imensa preocupação com o que nos parece uma tendência de desintegração das organizações de extrema-esquerda, processo esse que se acelera desde a crise de 2008. Mas primeiro, o que estamos chamando de extrema esquerda? Uma definição formal diria que são as organizações socialistas que não aceitam as regras da democracia parlamentar e que, portanto, usam principalmente meios extraparlamentares de luta. Mais especificamente, eu estamos falando das organizações políticas de extrema esquerda, e não dos movimentos sociais. É um campo que vai de setores do PSOL, passando pelo PCB, PCR, PSTU até as seitas marxistas-leninistas, trotskistas, maoístas e anarquistas, além dos poucos e pequenos grupos não afiliados a nenhuma dessas correntes. (Nem todo grupo pequeno é uma seita, para ter a "honra" de ser chamada assim, a organização deve se considerar a detentora da Única Política Correta, intervir no movimento p

Ciências e política: "diz estudo", "pesquisas comprovam" etc

Meus agradecimentos à Cyntia e ao Luther, que discutiram comigo sobre o rascunho! franjas de interferência Eu tenho visto uma tendência na Internet de usar pesquisas científicas recentes na base do  pick and choose pra justificar os seus posicionamentos políticos em debates. Em primeiro lugar, o que é irritante é o critério. Pra usar as palavras do ex-ministro Rubens Ricupero, "o que é bom a gente mostra, o que é ruim a gente esconde". As pessoas tendenciosamente escolhem as notícias que favorecem o que elas defendem e escondem as outras. Mas tem dois outros problemas até piores, que são: - não aceitar que uma parte normal do funcionamento das ciências (todas) é a disputa entre explicações alternativas para os mesmos fenômenos. Uma questão não vai ser fechada porque "conclui estudo" que x tá certo e y errado. Muito provavelmente, alguma pesquisa vai sair em pouco tempo, apontando para conclusões diferentes. É só depois de uma série exaustiva de deb